Ogrices – Barbas pra que te quero

Difícil explicar em um momento aonde a barba é a moda da vez o porque de eu usar esta cabeleira máscula em meu rosto, agora pode ser bacana não fazer a barba, mas ao longo dos meus quase trinta anos passei por diversos momentos e histórias diferentes quando o assunto é a tal da barba, obviamente não sou o único, mas muita gente por aí nunca usou barba antes, considerava uma coisa ruim, suja e feia que deveria ser escondida da humanidade.

A experiência com a barba começou de fato lá pelos 14 anos, antes alguns pelos até faziam visitas, mas nunca aparecendo em grandes grupos ou com a capacidade de fazer algo bacana, mas na minha primeira oportunidade aos 14 anos tentei deixar apenas o que consegui juntar no queixo, uma barba rala e fina que cresceu com bastante esforço, críticas da mãe e olhares feios na escola,  em uma frequente escala de amor e ódio eu tirava e deixava a barba crescer alternando isso mês a mês, geralmente devido a reclamações alheias.

Existem muitos tipos de barba, mas a minha é aquela que cresce logo no outro dia após tirar, então para ficar com o rosto liso eu preciso fazer a barba todo santo dia, senão eu fico com aquela sujeira do “Homer Simpson” no rosto, vide abaixo:

DSC02718

Então cheguei lá pelos 20 anos, aonde a minha preguiça eterna de fazer a barba e meu gosto por ter barba colidiram com a minha vida profissional, aonde era visto como algo ruim ter a barba, sempre com aquela mesma besteira sobre sujeira ou sobre ser algo vulgar, nessa época alternei entre cavanhaques e costeletas, ambas que me permitiam ter barba e ao mesmo tempo parecer socialmente aceitável.

Há 3 anos atrás com o nascimento da minha filha decidi pela primeira vez assumir o desafio de deixar somente o bigode, foi bacana por um tempo mas tive dificuldades em considerar o bigode uma barba, ele não me dava a sensação que eu tanto gosto, e isso no final das contas é todo o sentido de ter barba, o fato de que eu gosto de ter ela, gosto de usar, prefiro inclusive a minha aparência com ela.

Hoje chegando nos trinta agradeço por toda essa moda, hoje posso ter uma barba cheia e ainda assim ser bem visto socialmente, estou aproveitando o momento enquanto ele dura, sem reclamar daqueles que falavam mal ou das garotas que tanto implicavam, o prazer da barba é algo pessoal, aonde estão acumulados os meus anos de experiência, minhas ideias e meu modo de viver, finalmente podendo me sentir bem comigo mesmo sem ser julgado por isso.

barba

Barba é um acessório pessoal que vem atrelada a grandes responsabilidades, a manutenção do corte, lavar, passar os produtos certos e pentear para manter toda a higiene, shampoo e condicionador com os mesmos cuidados do cabelo, a barba é um grande protetor, ela protege o seu rosto, filtra o seu ar e cobre sua pele, tudo que deve fazer em troca é cuidar dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.