Octopus Mom – Mas que papelão…

A quantidade de braços aumentou, se bem que mesmo antes de ser mãe sempre fui assim meio multi-tarefas… E depois de me definir uma mãe polvo com oito braços, me dei conta de que na verdade as vezes acho até que oito braços são pouco…

Mas e os papéis?

O primeiro deles é “mãe“. Por que esse papel uma vez assumido, não desgruda nunca mais. Esse papel faz com que você pense até o dinheiro de maneira diferente, tipo “nossa que saia linda… 60 reais… uma lata de leite é uns 28… caramba… duas latas de leite…” e assim você se afasta da vitrine pois não é prioridade.

Logo em seguida tenho que ser “filha” e “irmã“, principalmente por que continuo morando com minha mãe e com minha irmã mais nova. Então vale se estressar por que a roupa limpa que deveria estar no seu armário na verdade está amassada e/ou suja no pufe do quarto da sua irmã.

Aí vem o “amiga“, que nos primeiros meses do papel “mãe” podia continuar sendo a mesma, mas depois de um ano e nove meses ela está te contando que está saindo com um carinha novo, e que ele é sensacionalmente incrível, liga pra ela, manda mensagem, e você está prestando atenção quando de repente tem que falar “Caique! Não pode desenhar na parede!” Por que ele já não está mais sentado no chão e sim perto de começar a fazer aquela obra de arte na parede alheia. Pegar, colocar ele no chão de novo, falar que só pode desenhar no papel, olhar pra sua amiga e “desculpa” rir e tentar recomeçar o assunto da onde parou.

Depois vem a “namorada” que não me permite esquecer que eu preciso ter um tempo pra mim mesma, afinal, quem curte namorar alguém com a perna peluda, certo? Até pra tomar banho eu preciso calcular o tempo que eu tenho pra deixar o papel de mãe, vai que ele acorda? Aí meus banhos demorados passaram a ser mais rápidos. Tenho certeza de que se fosse solteira eu seria praticamente uma mulher das cavernas…

E ser somente “eu“? Adiós beibi! É impossível… então aproveite enquanto você não assumir o papel de mãe, por que ele vai tomar todo o seu tempo. Não que eu esteja falando mal, que eu não estou, na verdade só estou constatando um fato! Por que as pessoas só divulgam a parte boa de ser mãe, que é uma delícia, prazeroso, e coisas similares. Puta propaganda enganosa! É uma delícia, é prazeroso… mas cansa… e muito!

E se eu pudesse mudar e começar de novo?
Faria tudo exatamente igual! Por mais que canse é a melhor coisa do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.