Octopus Mom – Dormir fora de casa.

Depois que você tem filhos o número de preocupações e medos que existem dentro da sua cabeça se amplificam paulatinamente. Todo dia você descobre algo novo que você podia até saber e que ganha outros contornos, e vira preocupação.

IMG_3257

Enquanto você vai pirando nos perigos de existir, seu filho se joga no mundo, na escalada, no sair sozinho, no dormir fora… E você que estava ali, todo bitolado com a rotina dos últimos anos, se dedicando àquela vida: fica sozinho e preocupado. Não por superprotecionismo, sempre acreditei que filhos são do mundo e faço o possível para criar uma filha independente e bem resolvida.

A Tina tem 04 anos e um mês e dormiu fora umas 03 vezes apenas por necessidade (nunca por opção). Quando não está na escola (x preocupações), fica conosco. As vezes uma tia, ou os avós, quase sempre conosco bem perto…

 Ou seja, metade da vida dela ela dorme na cama dela no quarto ao lado; outra metade ela dorme conosco porque somos adeptos da cama compartilhada também.
Existe independência e o apego. Pasme! Eles coexistem. Mas a primeira “balada” a gente nunca esquece, né? Tina resolveu dormir fora! Conscientemente e sozinha ela decidiu. Fora do mesmo telhado que nós. Liberdade e saudade clássicas dos pais. Alívio e pressão. E fui surpreendida por um o-c-o no estômago.
IMG_3298Não é um momento de egoísmo, de querer o filho ali embaixo da asa, não. Existe um vão físico da função (mãe xixi, mãe suco, mãe isso, mãe aquilo) que deixa de existir com um filho fora de casa; começam as preocupações desde educação até mesmo perigos; e aquele click chocrível de mais uma independência adquirida.

Fiquei muito feliz por ela, corajosa, decidiu o que queria, foi lá e fez! Realizou um sonho. Fiquei muito preocupada com ela, que não me avisou o que faria…

E isto é perigoso! Ela precisa entender que manter os pais informados é uma parte importante do processo, assim como não falar com estranhos e afins. Eu, obviamente, sabia onde ela estava e as intenções dela, mas ela não sabia disso. Precisamos conversar com as crianças sobre assuntos sérios de maneira simples e reta. Não tem bicho que vai te pegar, mas tem perigo.

Saldo do evento:

  • A criança dorme fora e os pais podem planejar melhor como aproveitar este tempo!
  • A criança precisa de mais lições didáticas sobre manter os pais informados.

São essas dicotomias que fazem da maternidade uma aventura malucamente deliciosa.

nota extra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.