Mixtapes – 15 – Sons do Mato

mixtape_15_pantanal_01Em tempos de salvar o Pantanal, e no dia da despedida do poeta das insignificâncias, um Ogro radicado no “Mato” não poderia deixar de fazer uma homenagem a terra em que vive. Mergulhei na música do Mato Grosso do Sul e descobri que estamos aquém do Camaro Amarelo (sem preconceito, gente, questão de estilo). Apesar da produção ser 80% sertaneja e, do meu ponto de vista depois dessa viagem,  por vezes injusta com os talentos da terra, aqui existe música de qualidade, de intensidade e com diversidade!

  • Chá Noise – O Flow do gurizinho.
  • Jennifer Magnética – Traga um copo d’água
  • Bebados Habilidosos – Mutantes
  • Rivers – Minha estrada
  • O Bando do Velho Jack – Cavaleiro do luar
  • *FAIXA BONUS* Almir Sater – Estradeiro

Descobrir os vários sons do Mato Grosso do Su(que não vive só de sertanejo, uhullllll!) foi uma aventura ótima! Hip hop, rock, blues, pop, polca-rock, tem de tudo. Provavelmente, mais coisas virão em mixtapes futuras. Comecei com o estilo moderno da atual e badalada Chá Noise. Pulando pra talentosa e sem investimento Jennifer Magnética. Passando pros dinossauros habilidosos dos Bêbados que já deveriam ser um patrimônio regional, me surpreendi com Rivers e encerrei a lista com o clássico Bando do Velho Jack, que nos anos 2000 era uma lenda em SP como uma banda foda que ninguém sabia de onde era, todas são bandas com produção sensacional. Mas para finalizar não podia deixar de lado uma raiz tão importante como Almir Sater, ele é um mestre que também ficou “aprisionado” em seus “clássicos” ficando com muita produção boa e mais rebelde de escanteio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.