Miojo e Suco Verde – Viva até o dia que você morrer

12301476_876186552497218_2544422269466545767_n

Snoopy e sua sabedoria nos pega de jeito com a sua afirmação simples que diz: Você está vivo.

Tão ironicamente esquecemos da graça da vida que nos é posta a prova todos os dias e acabamos por banalizar momentos (sorrisos, abraços, gentilezas…) ou coisas divinas e espetaculares como o azul do céu, o calor do sol ou um momento para olhar para uma árvore e ver como ela é maravilhosa. Isso não é tão importante no nosso dia a dia. Inclusive, esse papo de  “a vida é bela” também já se tornou coisa de gente de humanas, hippie, hype, cult, altérna, ou (o meu preferido) gente de esquerda.

É isso que eu normalmente escuto falar nessa nossa necessidade de colocar tudo em um padrão, um formato e rótulo. Reajo com uma risadinha mas no fundo não tenho ideia do que a tal pessoa está dizendo. Eu julgo o julgamento e tento entender o que é que foi julgado, baseado em que. De nada adianta, então deixo que tire as suas próprias conclusões e seguirei tentando colocar um pouquinho mais de beleza na vida. Colocar não! Reparar, porque a vida é linda demais.

No nosso dia a dia obedecemos um mecanismo que nos obrigada a subreviver, o que não necessariamente nos induz a viver.  Mas, tem duas coisas que nos fazem dar valor a vida:
1 – Quando alguém nasce (e enche uma casa de alegria, desperta um amor imenso mesmo sendo recém chegado e tão pequeno e é capaz até de unir uma família)
2 – Quando alguém morre (nos mostra como somos frágeis, sensíveis e errantes, além de nos lembrar que o final de todos é um só)

De resto, é só o nosso tempo que se vai com nossas experiências cotidianas, nosso estresse diário e nossas conquistas profissionais e alegrias momentâneas.

Agora vamos ligar os pontos.

Quem me viu esses dias viu como eu aproveitei cada minuto do carnaval. Acho a festa mais linda do mundo. Tenho muito orgulho do povo na rua, sorrindo. Tem música em toda esquina, tem alegria e fantasia. Tem descanso e esperança e é democrático! Até quem uma semana antes estava falando “acho um absurdo o Brasil comemorar o carnaval com o dólar no preço que está!” acabou sorrindo nas fotos do instagram aproveitando o feriadão. (Deve ser gente de direta.)

O fato é que durante o carnaval, eu tinha três (não um, nem dois, mas 3) avós no hospital. E os primeiros dias da folia foram intercalados como:
bloco – hospital – bloco
hospital – bloco – hospital
hospital – hospital – bloco

bloco – bloco – hospital

É impossível não parar pra pensar no sentido da vida quando se balança entre extremos. Entre a flor da idade e a velhice, o calor e a frieza, a saúde e a doença. Penso que quem me vê pelas as minhas fotos no instagram, pelos textos que eu escrevo, pelas roupas que eu uso, pela músicas que eu escuto, certamente não se impressiona ao ver o sol brilhar todos os dias no céu azul. O que é uma pena…

No meio dessa balança de emoções em que eu tentava me equilibrar, roubaram o meu celular e eu cheguei a mais algumas conclusões. Um iPhone é importante no nosso dia a dia.  Talvez não seja só olhar para uma árvore, mas sim olharmos um para o outro, de verdade,  é o que faz a gente viver melhor e aproveitar melhor a vida.

Acabei de achar esse gif enquanto estava escrevendo esse texto. E isso é exatamente o que eu estou querendo dizer. Então é isso.
ps: Na minha família todo mundo é festeiro. Bateu um pouquinho de peso na consciências mas eu sei que todo mundo aproveitou o carnaval enquanto estava em boa norma. E por eles eu fui foliar.
ps: Estão todos bem! ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.